EQUIPAMENTOS

De modo a reduzir o consumo e a fatura energética no setor residencial, a eficiência energética dos eletrodomésticos deverá ser controlada tanto na sua importação como na sua comercialização e uso, estando sujeita a regulamentação específica.

 

O projeto prevê como alternativas, para a promoção de eficiência energética nos equipamentos e eletrodomésticos, a definição de requisitos energéticos que os equipamentos devem responder. O desenvolvimento de padrões mínimos de desempenho energético MEPS e programa de rotulagem comparativa em eletrodomésticos específicos e selecionados com base em critérios de consumo energético e potencial de poupança dos equipamentos. Para além de poupanças significativas de energia e de redução de emissão dos GEE, acarretadas pelas alternativas propostas no projeto, a eficiência energética tornará uma consideração prioritária nas decisões do consumidor quanto à compra de novos eletrodomésticos através do aumento de atividades de marketing e de sensibilização.

 

Além disso, através da intervenção do projeto do DGE/PNUD/GEF, espera-se conseguir uma transformação do mercado através da introdução de normas obrigatórias de eficiência energética.

 

A implementação dos MEPS e programa de rotulagem para eletrodomésticos, em termos de economia cumulativas de energia e GEE, resultará no seguinte, até 2025:

 

 eletrodomesticos2